Cortina Wave – Detalhes que fazem a Diferença na Escolha

 

Olá pessoal, hoje vou falar um pouco sobre a cortina wave, que é o modelo de cortina do momento. A wave, embora presa num trilho, reproduz as ondulações obtidas, com o uso de ilhoses num varão. É uma cortina leve, pratica, fácil de movimentar e moderna.

O tipo wave (também conhecida como paulista) tem sido o mais utilizado no momento, já que deixa a cortina com uma ondulação perfeita.

Recentemente, escolhi para o meu novo apto as cortinas modelo wave e fiquei muito satisfeita. Eu escolhi para as salas de Estar e Home Teather o tecido em linho. Para os quartos, a escolha foi musseline de seda, que é um tecido leve e transparente. Vale ressaltar que ambas as cortinas são com forro. Para a porta da entrada de serviços, que tem uma parte em vidro, decidi colocar a cortina modelo Brise brise, que é própria para portas e janelas que se abrem para dentro, e onde só tem vidro. Essa cortininha brise brise é muito charmosa! Para o lavabo e banheiros escolhi a persiana rolo que é moderna e fácil de limpar. 

Eu fiz as cortinas na Loja Casa 322, em Pouso Alegre, que é referencia em cortinas na região. A Proprietária a querida Dani Coutinho, que é nossa amiga, nos deu um atendimento personalizado, ela veio a até a minha residência, tomamos um cafezinho, ela conheceu nosso espaço e nos orientou sobre a escolha do tecido, modelo e tudo mais! Recomendo! 

Sobre o Tecido os tecidos mais usados:

Musseline: produzido com fios de seda, o que deixa sua composição leve e muito nobre, perfeito para as cortinas do quarto e sala, além de capas para almofadas.

Linho: o tecido de linho é famoso e o queridinho do momento. A cortina de linho transforma qualquer lugar em uma atmosfera acolhedora com simplicidade e se encaixa até mesmo nos mais sofisticados e elegantes projetos de decoração. A cortina de linho possui leveza, mas sem perder o seu ótimo caimento e fluidez, por isso, é um dos mais escolhidos dentre os tipos de tecidos para cortinas.

Voal: O voal tem como características leveza e delicadeza. É ideal para confecção de cortinas e também para decorações de festas. De fácil manutenção, já que podem ser lavadas na máquina, e com ótimo custo-benefício, o tecido de voal tem alta durabilidade e uma grande variedade de cores. O voal também pode ser usado em forros para cortinas.

Black out: É um tecido escuro e com uma textura grossa, feito de poliéster, e que bloqueia 100% a passagem da luz.

Veludo: Este tecido para cortina representa nobreza e luxo, deixando o espaço sofisticado sem precisar de outros acessórios na ambientação. Além disso, ele permite uma ótima regulagem de temperatura e iluminação, deixando o espaço totalmente fechado, sem nenhuma fresta para passagem de luz.

Por se tratar de um tecido pesado, ela cria um proteção de calor que deixa o ambiente quentinho e aconchegante. Ideal para o quarto e salas e TV por exemplo.

Tecido Rolô: Assim como as cortinas, as persianas tem o mesmo dever que elas, proteger da luz solar e garantir privacidade para seus cômodos. Porém as persianas são mais práticas e fáceis de limpar, já que não é necessário lavar o tecido como nas cortinas. É só limpar com um pano úmido e detergente neutro ou sabão de coco.

A persiana rolo ainda possui a opção blackout, que impede a passagem total da luz, sendo indicado para quartos e salas de home theater, garantindo que nada possa incomodar seu sono ou filme.

Como calcular a quantidade de tecido?

Meça a largura da janela (2 m, por exemplo) e multiplique por dois: 2 x 2 = 4

Então tire a medida da altura (digamos que o pé-direito tenha 2,60 m) e some 60 cm, medida suficiente para a confecção da barra e do cabeçote: 2,60 + 0,60 = 3,20 Por fim, multiplique os resultados: 4 x 3,20 = 12,80 m

A fórmula vale para um tecido com 1,40 m de largura. Caso ele tenha 3 m de largura, poderá ser usado na horizontal, o que dispensa emendas. A metragem necessária, nesse caso, cai pela metade.

As cortinas devem ocupar apenas a janela ou a parede inteira?

A menos que exista algum obstáculo, como um aparador sob a abertura, elas ficarão mais elegantes se alcançarem o piso. Caso não seja possível, prefira um modelo romano ou uma persiana. “Cortinas curtas funcionam apenas em quartos de bebê”. Com relação à largura, não há regra. “Quando a esquadria é descentralizada, é recomendado encobrir toda a parede para disfarçar a diferença entre os lados”.

Que opções são mais eficazes para barrar o excesso de sol?

Se o espaço sofre com claridade demasiada, a pedida é investir num forro – além de filtrar a luz, o recurso protegerá a trama. Caso queira escurecer completamente a área, compre um modelo blecaute, já sabendo que ele tem um ponto fraco: o visual plastificado. “Há cerca de cinco anos, surgiram os chamados blecaute 70%, de aparência mais natural. Eles não vedam a janela completamente, mas podem, inclusive, tomar o lugar da cortina”. Outras opções de forro são o tergal verão e a gabardine. Existe, ainda, a chance de combinar persianas ou telas solares a cortinas.

As cortinas complementam a decoração da nossa casa!

Um ótimo domingo!

One Reply to “Cortina Wave – Detalhes que fazem a Diferença na Escolha”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*